Quantas vezes você já comprou algum produto que não pretendia inicialmente apenas por ir com a cara dele? Provavelmente bem mais do que uma. As embalagens para o PDV fazem toda a diferença na hora da decisão de compra do consumidor.

Isso é comprovado por uma pesquisa anual realizada pela Nielsen, “A Hora Certa de Ativar o Shopper”. De acordo com esse levantamento, 70% das decisões de compra, em média, são tomadas em frente à gôndola. E apesar da marca ainda ser um dos maiores gatilhos para quem compra, o tamanho e o tipo da embalagem também aparecem na lista, com 13 e 11% de importância, respectivamente.

Produtos como chocolates, salgadinhos, biscoitos ou queijos, que não demandam tanto planejamento na hora da compra, podem, inclusive, ser comprados por impulso, dependendo de uma boa embalagem.

Afinal, elas representam a marca e seus valores, fornecendo uma primeira impressão — que, espera-se, seja boa. Até por isso é importante atualizar-se e acompanhar o perfil do consumidor.

A seguir, mostraremos como, exatamente, as embalagens para o PDV podem influenciar a escolha do consumidor por uma marca e não por outra. Acompanhe:

Competitividade

Quando se vende produtos de um mesmo segmento, as embalagens e a comunicação parecem similares. Por isso é ainda mais importante que o diferencial esteja claro para o consumidor e a embalagem é uma forma comprovadamente eficaz para isso.

Renovar a embalagem é uma solução que funciona tanto para o PDV quanto para ações de marketing. Afinal, atualizar o produto em si é muito mais trabalhoso, caro e demorado.

Trabalhe em conjunto com a equipe de design para encontrar soluções — um tamanho diferenciado que facilite a rotina de seu público? Um novo tipo de fecho? As opções são várias, mas é importante que sejam autoexplicativas.

Experiência sensorial

Antes mesmo de experimentar seu produto, o consumidor tem o contato com as embalagens para o PDV. Com certeza você já sabe que a parte visual faz a diferença, mas já parou para considerar os outros sentidos? Como é o toque, o som, o gosto e o cheiro de sua embalagem? Quando a única embalagem da gôndola a se preocupar com os outros sentidos é a sua, o impacto é gigantesco.

Claro que, para isso, é necessário um planejamento, considerando quem é seu público-alvo para encontrar alguma inovação que possa fazer sentido para ele.

Por exemplo, se o seu público-alvo gosta de música, toque os acordes certos para ser lembrado posteriormente: pense em uma embalagem que pode virar um instrumento musical ou caixa de som depois do uso.

Agora, se você trabalha com produtos naturais ou que tenham apelo saudável, pode considerar uma embalagem com cheiros, simulando incensos.

Como você provavelmente imaginou, soluções como essas podem demandar um custo adicional, por isso é preciso um planejamento forte para descobrir se um aumento de vendas cobre esse custo e ainda dá uma boa margem de lucro.

Valor do produto

Como a própria GFK, uma das líderes mundiais em pesquisa, já diz: “o consumidor não compra preço, ele compra valor”. Pesquisas como a Mind Map estudam o mapa mental do consumidor para poder determinar qual é o valor que ele percebe em certo produto.

Esse valor pode ser expresso pela própria embalagem. Pense em sua última visita ao supermercado: sabemos, antes mesmo de checar o preço, quais produtos são mais baratos e quais são mais caros. Essa dedução acontece pelo valor que atribuímos à embalagem.

Ou seja: inovações aumentam esse valor percebido e, consequentemente, o do produto também, fazendo que o consumidor mude sua percepção de preço.

Pensando nisso, é importante alinhar as embalagens para o PDV com a estratégia de comunicação, utilizando-as como diferencial competitivo. Assim, é possível ganhar a preferência dos consumidores.

Para ajudar, que tal conferir quais são as últimas tendências para o design de embalagens